FeaturedNegócioNotaNoticias
Tendência

Aos 99, Alberto Dualib teve pena prescrita e quer voltar a ser sócio do Corinthians como ato simbólico

Desejo do ex-presidente do Corinthians ainda não foi protocolado no órgão responsável

O nome de Alberto Dualib, ex-presidente do Corinthians, voltou ao noticiário na última semana, quando pessoas ligadas ao ex-dirigente de 99 anos levaram ao clube um pedido para que ele volte ao quadro de sócios, de onde foi excluído em 2008.

Com saúde debilitada, mas bastante consciente, o dirigente gostaria de obter uma nova carteirinha de sócio como um ato simbólico, sem intenções de frequentar o Parque São Jorge. No clube, apesar de causar certa resistência, conselheiros avaliam a possibilidade como um “gesto humanitário”.

O pedido ainda não foi protocolado no Cori (Conselho de Orientação), que tem uma próxima reunião marcada para o dia 29. Caso o pedido seja documentado até lá, será votado no órgão e, depois, repassado ao Conselho Deliberativo. Caberá ao presidente do CD a decisão final.

Roberson de Medeiros, presidente do Cori, afirmou que todos os procedimentos serão respeitados:

– Existe um caminho a ser trilhado. Quando existiu em 2007 a possível condenação, ele fez uma manobra e se desligou do quadro associativo, pois seria excluído. Em 2008, ficou condicionado que o retorno dele e de Nesi Curi (vice), hoje falecido, deveria ser pautado pela presidência, encaminhado ao Cori, que por sua vez poderia enviar ao Conselho. Esse é o trâmite. Não tendo objeções, ele pode se filiar novamente. Tem ainda que atender todas as disposições estatutárias atuais, entregar suas certidões. Mas vamos fazer os trâmites sem peso político – destacou.

O GloboEsporte.com conversou ainda com Markus Miguel Novaes, advogado de Alberto Dualib, que atualizou a situação de seu cliente.

Em 10 de outubro do ano passado, Dualib teve reconhecida pelo Superior Tribunal de Justiça a extinção de sua punibilidade por conta da prescrição da pena. O ministro Antônio Saldanha Palheiro foi o relator do processo.

Alberto Dualib foi condenado em 2010 em primeira instância na Justiça Estadual de São Paulo pelo crime de estelionato, com pena de três anos e nove meses de reclusão, no regime aberto, substituída por prestação de serviço à comunidade. O pena prescreveu após oito anos.

Mesmo sem a absolvição buscada por sua defesa, Alberto Dualib teve extinta a sua punibilidade, o que exclui a sua pena. Aos 99 anos, não pode mais ser punido pela Justiça.

– Hoje, Alberto Dualib não tem nenhuma condenação, embora não tenha sido absolvido, que era o que buscávamos – explicou o advogado Markus Miguel Novaes.

Quem é Dualib?

Presidente do Timão entre 1993 e 2007, sendo campeão de diversos títulos no período, Alberto Dualib renunciou ao cargo de presidente em outubro de 2007 para evitar o seu impeachment, que se articulava no Conselho Deliberativo. Em 2008, foi excluído do quadro de sócios.

Na época, era investigado no Ministério Público por crimes lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, estelionato e emissão de notas frias. Foi condenado em primeira instância no Tribunal de Justiça de São Paulo pelo crime de estelionato, mas teve punibilidade prescrita no ano passado.

Entre os títulos da eram Dualib estão as Copas do Brasil de 1995 e 2002, os Campeonatos Brasileiros de 1998, 1999 e 2005, o Mundial de 2000 e os Campeonatos Paulistas de 1995, 1997, 1999, 2001 e 2003. Com o fim da parceria com a MSI em 2007, passou a ser investigado pelo Ministério Público.

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios