Agnaldo

360º Dérbi – Nunca duvide do Corinthians

Bom galera, essa é a primeira vez que escrevo um texto para uma coluna e espero sinceramente e humildemente, poder não desaponta-los com as minhas teses e opiniões aqui expressadas. Desde já, agradeço muito a equipe do Timão Hoje por essa oportunidade.

Mais um dérbi o 360º da história

Bem, a semana pré dérbi começou como há um bom tempo já vem rolando. Com a mídia em peso apontando o time Verde (usarei esse termo para não citar o nome do rival) como o grande favorito, o favoritaço, o poderoso, o maior elenco, o ricaço, o time praticamente imbatível¨, ainda mais por um Corinthians que vinha sendo montado do zero, com jogadores novos que chegaram, que ainda não haviam mostrado o porquê foram contratados, já recebendo criticas de parte da torcida e também dessa mesma mídia.

Bastou o Corinthians perder no meio da semana para o Red Bull (0x2), para esse favoritismo explodir, chegar a níveis estratosféricos, praticamente extinguindo qualquer chance do clube de Parque São Jorge conseguir surpreender o time verde em seus domínios (cá entre nós, já é domínio do timão, né, rs!!).
Aí que chega a quinta feira pré dérbi, e para variar entrou a torcida dos verdes na história, ao saberem que Luiz Flavio de Oliveira iria apitar o clássico. E como sempre acontece, o que eles fizeram(?), sim, diversas teorias da conspiração, para dizerem que o árbitro e a FPF iriam prejudica-los e só assim, perderiam o duelo que iria acontecer no sábado. Se vitimizaram, fizeram pressão nas redes sociais, fizeram vídeos já se lamentando, ofendendo, e para quem não conhece esses torcedores, sim, eles inventando a justificativa patética de transferir, a inimaginável derrota para o maior algoz da arena em que eles são somente locatários e assim também foi toda a sexta feira pré dérbi.
Chegou o sábado do dérbi, ambas torcidas apreensivas, afinal, estamos falando do dérbi paulista, que na minha modesta opinião, se trata do maior clássico desse país.

O jogo:

Como esperado o time verde começou o jogo lançado ao ataque, tentando explorar o lado direito do Corinthians, com o pequeno chorão (Dudu) partindo para cima do experiente Fagner, onde não obteve nenhum sucesso, que no meio desse tempo, mudou de lado para esquerda, a fim de explorar as costas do Avelar e também não conseguiu êxito. Teve alguns outros lances de pura correria e nenhuma organização, sem ameaçar ao gol do monstro Cássio.
Fábio Carille disse que queria aperfeiçoar o jeito da equipe atuar, o que é louvável demais, mas nesse momento o Corinthians permanece mais forte quando entrega a bola para o adversário e jogar no erro do rival. E foi assim, que no quinto minuto do Dérbi, o time do povo, trocando passes, chegou a proximidade da área, onde o menino Vital sofreu uma falta. Dessa falta, aos sete minutos, depois de um cruzamento perfeito de Sornoza, uma cabeçada forte de Gustavo e no rebote, o tão criticado Danilo Avelar, fuzila o goleiro do time verde para marcar o primeiro e único tento da partida. Daí, até o final do primeiro tempo, foram tentativas atabalhoadas do time verde para conseguir igualar o marcador, mas sem causar nenhum perigo, perigo mesmo a meta do Corinthians.

O segundo tempo o que se viu, foi um Corinthians recuado, mas extremamente organizado e sabendo o que fazer com a bola e quase não dando oportunidades reais ao time verde.
O time verde que foi tanto elogiado por ter repertório para vencer o bom sistema defensivo corintiano, na hora e na realidade, se mostrou não ter todo esse repertório, foram simplesmente engolidos pela zaga composta por Manoel (excelente, não perdeu uma) e Henrique.
A arbitragem que era a enorme preocupação dos torcedores verdes, o que se viu, foi uma arbitragem muito boa (que não teve o mínimo de impacto no resultado), e viram essa arbitragem expulsar o mal educado Dayverson, que numa atitude canalha, covarde, cuspir no jogador do Corinthians.

No final, o desacreditado Corinthians, o time do povo, mostrou todo o peso de sua gloriosa camisa, mostrou que não adianta o colocarem como derrotado antes da batalha do campo, que é clube abençoado por Deus, por São Jorge Guerreiro, que não foge da batalha, que não se entrega a derrota… Porque aqui é Corinthians e assim sempre será!!!

Retrospecto do clássico

Corinthians x Time Verde

* Não duvidem que o time verde possa acrescentar disputa de par ou ímpar para dizerem que eles tem mais vitórias.

 

Mostrar mais

8 Comentários

  1. Sua publicação definiu exatamente o que ocorreu em campo.
    Um time mandante, nervoso e sem variação ofensiva e
    Um visitante um tanto a vontade dentro de seu esquema de jogo, conseguindo o resultado mesmo sem tanta ofensividade.
    A humildade venceu a soberba.
    Não há favoritismo em clássico.
    Parabéns

  2. Sua publicação definiu exatamente o que ocorreu em campo.
    Um time mandante, nervoso e sem variação ofensiva e
    Um visitante um tanto a vontade dentro de seu esquema de jogo, conseguindo o resultado mesmo sem tanta ofensividade.
    A humildade venceu a soberba.
    Não há favoritismo em clássico.
    Parabéns

  3. Achei um excelente texto.
    Só não achei legal não citar o nome do Palmeiras, vejo que em todos os esportes ou até mesmo no futebol de rua( que a muito tempo não se vê ). Todos têm orgulho de falar o nome do rival, até mesmo pq isso só deixa maior a rivalidade e mostra nossa grandiosidade.
    Mas fora isso achei um texto sensacional, Agnaldo.
    Parabéns.
    Vai Corinthians.!

  4. Achei um excelente texto.
    Só não achei legal não citar o nome do Palmeiras, vejo que em todos os esportes ou até mesmo no futebol de rua( que a muito tempo não se vê ). Todos têm orgulho de falar o nome do rival, até mesmo pq isso só deixa maior a rivalidade e mostra nossa grandiosidade.
    Mas fora isso achei um texto sensacional, Agnaldo.
    Parabéns.
    Vai Corinthians.!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios